No âmbito do FESTIVAL VARILUX DE CINEMA FRANCES 2011

 

Unifrance e a Embaixada da França no Brasil, com o apoio da Secretaria do Audiovisual do Ministério da Cultura Brasileiro e em parceria com a ANCINE, Cinema do Brasil, Rio Filmes

e a Secretaria de Estado de Cultura do Rio de Janeiro

 

têm o prazer de convidar aos

 

ENCONTROS PROFISSIONAIS FRANCO-BRASILEIROS

 

« Cinema digital e diversidade cultural :

Desafios e oportunidades para as indústrias brasileira e francesa »

 

SEXTA-FEIRA, 10 de junho, das 9h às 17h30min 

 

Programação Geral

9:00 - 9:30 - Boas-vindas


9:30 - 11:00 - A distribuição dos filmes não americanos nas televisões


11:15 - 13:00 -  As novas oportunidades de difusão dos filmes 


14:00 – 16:00 - Difusão Comercial nas salas


16:00 – 17:30 - As ações inovadoras de promoção do cinema


Baixe aqui a ficha de inscrição:


http://www.festivalcinefrances.com/arquivos/encontros_inscricao.pdf

 

 

Hotel Sofitel - Salão Copacabana

Avenida Atlântica 4240

Copacabana, Rio de Janeiro- RJ


Favor, confirmar presença:

michelle.pistolesi@diplomatie.gouv.fr

 

 

MAIS INFORMAÇÕES: brigitte.veyne@diplomatie.gouv.fr



Programação detalhada:


OBJETIVOS

 

ü Analisar o impacto das mutações da indústria cinematográfica devido à digitalização do cinema, no Brasil e na França.

ü Revelar as oportunidades, os riscos e o significado dessas mutações para as cinematografias francesa e brasileira.

ü Estudar as políticas públicas e as iniciativas privadas implementadas em ambos os países para enfrentar essas mudanças.

ü  Identificar propostas inovadoras que poderiam fortalecer o lugar das duas cinematografias nesse contexto.

 

 

PROGRAMA

 

9H - 9H30 BOAS-VINDAS

Ana Paula Santana, Secretaria do Audiovisual do Ministério da Cultura do Brasil

Yves Saint-Geours, Embaixador da França no Brasil

Manoel Rangel, Presidente da Agência Nacional do Cinema (Ancine)

Régine Hatchondo, Diretora de Unifrance

Frédéric Béreyziat, Diretor de Relações Europeias e Internacionais do Centro Nacional da Cinematografia (CNC)

Julia Levy, superintendente do audiovisual do Governo do Estado de Rio de Janeiro

André Sturm, Presidente de Cinema do Brasil*

 

9H30 - 11H A DISTRIBUIÇÃO DOS FILMES NÃO-AMERICANOS NAS TELEVISÕES

As televisões sofrem mudanças que têm conseqüências sobre a venda, a difusão e a programação dos filmes. No último dia 29 de novembro, chegou ao fim o processo de digitalização das televisões francesas. No Brasil o processo de digitalização ainda está em andamento, bem como a adoção da PL 116. Qual é a repercussão dessas transformações para a difusão de filmes não americanos (e especialmente dos filmes brasileiros na França e franceses no Brasil)?

 

Moderador: André Mermelstein, jornalista, editor da revista Tela Viva

Manoel Rangel, Presidente da Agência Nacional do Cinema (Ancine)

Ana Paula Santana, Secretaria do Audiovisual do Ministério da Cultura do Brasil

Frédéric Béreyziat, Diretor de Relações Européias e Internacionais do Centro Nacional da Cinematografia (CNC)

Marcos Ribeiro de Moraes, Gerente de Aquisição e produção Independente da TV Cultura

Sóvero Pereira, Gerente de Marketing, Rede Telecine

 

11H - 11H15 COFFEE BREAK

 

11H15 - 13H AS NOVAS OPORTUNIDADES DE DIFUSÃO DOS FILMES (INTERNET, CELULARES)

Em 2010, a França anunciou a implantação de um portal de vídeo sob demanda (VOD) para conteúdos audiovisuais e cinematográficos franceses, e lançou um plano de digitalização do acervo cultural. O CNC (Centro Nacional Francês da Cinematografia) possui programas de apoio para serviços VOD, enquanto várias plataformas do tipo, com conteúdos cinematográficos legais, estão em funcionamento atualmente. No Brasil, o mercado VOD ainda está no começo (abertura recente das plataformas da Net, Telefônica, Terra TV). A legislação e a fiscalização não estão ainda claramente Serviço Audiovisual da Embaixada da França no Brasil definidas. Como reforçar a oferta legal de filmes brasileiros e franceses e permitir que o VOD seja em breve uma alternativa de exportação de nossos filmes?

 

Moderador: Frédéric Martel, pesquisador, autor de Mainstream, locutor do programa "Masse critique" na radio France Culture

Frédéric Béreyziat, Diretor das relações europeias e internacionais do Centro Nacional da Cinematografia (CNC)

Fernando Magalhães, Diretor de programação da Net Serviços

Bruno Maceio, Coordenador Geral da Secretaria do Audiovisual do Ministério de Cultura


13H ALMOÇO

 

14H - 16H A DIFUSÃO COMERCIAL NAS SALAS

A digitalização das salas e dos filmes é um fenômeno inevitável no mundo inteiro. Quais são as políticas públicas de acompanhamento nos dois países? (O CNC implementou um programa para a digitalização das salas, a Ancine implementou o programa « Cinema Perto de Você »). Em que medida essa digitalização pode representar uma vantagem, ou, ao contrário, um perigo para a diversidade cultural nas salas? A digitalização dos filmes pode favorecer uma maior circulação das obras entre os países? Quais são as implicações dessa digitalização dos filmes e das salas para o circuito exibidor e para os produtores?

 

Moderador: Pedro Butcher, jornalista, editor do portal Filme B;

Nicole Delaunay, antiga responsável pelo serviço da exibição do Centro Nacional Francês da Cinematografia (CNC)

Philippe Martin, produtor de Les Films Pelléas,

Patricia Cotta, Departamento de Marketing e Programação, Cinemas Severiano Ribeiro

Jean-Thomas Bernardini, Diretor da distribuidora Imovision e da sala Reserva Cultural.

Adhemar de Oliveira, diretor do circuito Espaço de Cinema

José Eduardo Ferrão, presidente da AUWE Digital

 

16H - 17H30 AS AÇÕES INOVADORAS DE PROMOÇÃO DO CINEMA

As novas oportunidades e a digitalização permitem também novas maneiras de tornar o cinema mais conhecido. Que ações inovadoras de promoção cinematográfica estão em andamento atualmente nos dois países? Exemplos: MyFFF, o primeiro festival on line de cinema francês; Festival Varilux de cinema francês, simultâneo em 22 cidades graças ao sistema Auwe; etc.

 

Moderador: Frédéric Martel, pesquisador, autor de Mainstream, locutor do programa "Masse critique" na radio France Culture

Grégoire Lassalle, Presidente de Allocine,

Régine Hatchondo, Diretora Geral da Unifrance,

Wellington Geraldo Silva, Diretor de marketing e conteúdo da Oi Futuro.

Julia Levy, superintendente do audiovisual do Governo do Estado de Rio de Janeiro

 

17H30 DISCURSOS DE ENCERRAMENTO DOS ENCONTROS


* A programação pode sofrer alterações

 


Festival Varilux de Cinema Francês. Entre em contato.

web: lunário